Buscar
  • Caroline Leonel dos Santos

5 dicas para quem quer começar a psicoterapia.

Atualizado: 10 de abr.

Se você está pensando em começar a psicoterapia e tem dúvidas sobre o processo terapêutico, esse texto pode te ajudar. É natural que ao buscar atendimento psicológico apareçam alguns questionamentos diante dos diversos profissionais e formas de trabalho disponíveis. Isso sem falar no tabu e preconceito que ainda existem sobre atendimentos psicoterapêuticos. Essa nem sempre é uma decisão fácil, no entanto eu separei 5 dicas que, na minha opinião, podem facilitar esse momento.







1. Você precisa querer:

Algumas pessoas podem sugerir que você comece a fazer psicoterapia. Pessoas que já conhecem o benefício do acompanhamento psicológico e profissionais da área da saúde costumam fazer essa indicação. Refletir sobre essa possibilidade e perceber se essa ajuda vai de encontro com o que você está vivendo é sempre válido. No entanto, essa decisão precisa fazer sentido pra você. É mais provável que o acompanhamento tenha eficácia quando existe disposição da parte de quem busca ajuda. A psicoterapia individual é um processo muito pessoal e ninguém sabe mais das suas necessidades do que você mesma(o).



2. Nem sempre é fácil:

O autoconhecimento não é algo romântico. É um processo que pode trazer à tona sentimentos encobertos e difíceis de serem experienciados. Porém, a maioria das pessoas consegue lidar melhor com os problemas da vida quando compreendem melhor o que sentem. Então, apesar de não ser simples, o autoconhecimento é um movimento importante de desenvolvimento e crescimento pessoal que vai na direção da liberdade e da autonomia. É provável que conhecendo melhor a si mesma(o) você consiga perceber coisas que antes não eram tão claras.



3. Ajuda na organização pessoal:

Às vezes nós temos a pergunta, mas não encontramos a resposta. Às vezes temos a resposta, mas não entendemos bem por que as coisas são como são. Se nossos pensamentos estão desorganizados podemos nos sentir perdidos e com dificuldade de seguir em frente. Quando falamos sobre o que sentimos e somos acolhidos e ouvidos com interesse em uma relação psicoterapêutica, tendemos à organização interna e muitas vezes externa também.



4. Não é mágica:

A psicoterapia não tem como objetivo oferecer uma resposta pronta para os sofrimentos. Somos todos muito diferentes uns dos outros, e cada um lida da forma que pode com as dificuldades da vida. O que é bom para mim pode não ser pra você. Então o que você vai encontrar é um espaço de respeito com os sentimentos apresentados, para que eles possam ser compreendidos de forma mais realista, ampliando a possibilidade de que você chegue até suas próprias respostas, que são, sem dúvidas, melhores do que qualquer pessoa seria capaz.


5. É para todo mundo:

A ideia de que o atendimento psicológico é somente para quem passa por sofrimentos mentais específicos faz parte de um estigma social que diferencia e exclui pessoas há muito tempo, além de dificultar a busca por ajuda profissional por conta do preconceito e julgamento. A psicoterapia é um atendimento com o objetivo de melhorar a saúde emocional de uma forma geral, sendo assim é para qualquer pessoa que busque melhorar sua qualidade de vida.


Essas dicas foram pensadas a partir das dúvidas mais comuns que chegam até mim. Claro que existem muitas outras, mas espero que essa pequena tentativa de ajuda faça sentido para você de alguma forma.


Com carinho, Caroline Leonel - Psicóloga CRP 06/139876

136 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo